PEÇA CLÁSSICA “CINDERELA” GANHA ENCENAÇÃO MODERNA

Clássico conto de fadas reúne doze personagens interpretados por dois atores 

Para revisitar “Cinderela” sem cair na mesmice ou frustrar as expectativas das crianças, o diretor Isser Korik optou por preservar o conteúdo e trabalhar com a forma desse clássico conto de fadas. Em cena os atores Ian Soffredini e Mariana SãoJoão fazem onze papeis distintos.

Em ritmo dinâmico, eles entram e saem de cena, ora como uma bela e delicada moça, ora como uma madrasta muito malvada, ora como frágeis ratinhos, ora como megeras, ora como príncipe, ora como fada, e assim por diante.

“A ênfase na composição dos atores para cada personagem e sua preparação técnica é a chave do espetáculo. Ter apenas dois atores em cena é dinâmico. Isso desperta a curiosidade das crianças”, explica Isser.

Essas mudanças rápidas de papeis atraem o olhar para a arte de compor um personagem. As crianças percebem as transformações dos atores e são justamente fisgadas e encantadas por elas. A partir da segunda cena, no entanto, ninguém mais nota que o elenco é formado por apenas duas pessoas.

O rápido movimento de muitos personagens exige dos atores um vasto repertório de vozes, de linguagem corporal, de jeitos e trejeitos que são a graça e o diferencial de cada figura em cena. Mariana explica que é preciso “habilidade e cuidado na hora apresentar cada um dos personagens para não confundir o espectador”. Ian acrescenta que essa mudança significa “uma troca energética, e não apenas uma mudança no figurino”.

SOBRE O DIRETOR ISSER KORIK

Diretor, ator, produtor, tradutor e dramaturgo, Isser Korik coleciona trabalhos marcantes como comediante em quase 30 anos de carreira, como  “Vacalhau & Binho”, de Zé Fidélis, que permaneceu oito anos em cartaz; “O Dia que Raptaram o Papa”, de João Bethencourt; “E  o Vento não Levou”, de Ron Hutchinson, “Toda Donzela Tem um Pai que é uma Fera”, de Gláucio Gill, e recentemente, “Divórcio!”, de Franz Kepler . Como diretor se destaca na comédia.

Concebeu “Nunca se Sábado…”, apresentado por quatro temporadas sob sua direção geral, que marcou a cena paulistana.

Dirigiu o sucesso “A Minha Primeira Vez”, de Ken Davenport; a trilogia cômica de Alan Ayckbourn “Enquanto Isso…”; “O Mala”, de Larry Shue; o projeto “Te Amo, São Paulo”, que reuniu grandes nomes da dramaturgia paulista, “Dez Encontros”, de David Hare, “Jogo Aberto”, de Jeff Gould, “Que Tal Nós Dois?”, com Otávio Martins e Carolina Ferraz; além dos infantis “A Pequena Sereia”, de Fábio Brandi Torres; “Grandes Pequeninos”, de Jair Oliveira; “Cinderela”, “O Grande Inimigo” e “Ele é Fogo!”, de sua autoria, tendo recebido por esse último o Prêmio APCA. É diretor artístico da produtora Conteúdo Teatral e do Teatro Folha.

 

SOBRE OS ATORES

Ian Soffredini – é credenciado pela City University London, pelos estudos concluídos na Academy of Creative Training, de Brighton, e na Arts Educational School London, de Londres. Trabalha como ator e diretor ininterruptamente nas companhias Cia. Do Pátio e Nucleo EsTeP desde 2006. Também é curador do “Improvisorama”, festival de improvisação que reúne os principais grupos do gênero no Brasil e no exterior.

Atuou nos espetáculos “A Minha Primeira Vez”,  com direção de Isser Korik; “A Bela Adormecida”, com direção de Paulo Henrique Jordão; “Cyrano de Bergerac”, com direção de João Fonseca; “Further then the furtherest thing” e “Gut girls”, interpretados em Londres; “Pequena Reflexão Cômica”, com texto, direção e atuação próprias; “Minha Nossa!”, de Carlos Alberto Soffredini; “Nunca Se Sábado”, de Mário Viana, Fábio Torres, Luiz Henrique Romagnolli, Laert Sarrumor e Isser Korik; e “Revistando 2006”, de Mário Viana e Fábio Torres.

Mariana SãoJoão  Graduada em Teatro -Licenciatura e Bacharelado- em 2014 pela Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo. Seguiu carreira de modelo até 2011, onde conheceu o teatro, destacando-se na remontagem de Passos da Paixão em Poá-SP com a personagem Maria Madalena, gravando comerciais e apresentando para cerca de 10 mil pessoas no maior teatro ao ar livre do Alto Tietê. Foi assistente de produção em 2012 no musical Um Violinista no Telhado (Teatro Alfa) e em 2013 nos espetáculos: O Desaparecimento do Elefante; Vingança O Musical; Amigas, Pero no Mucho; Cruel (RJ); Ciranda (RJ) e em 2016 com o espetáculo O Pai, todos através da empresa Morente Forte Comunicações. Em 2017 foi assistente de Direção dos espetáculos: O Empréstimo, Jogo Aberto e Nove em Ponto, dirigidos por Isser Korik, sendo atriz alternante na turnê do espetáculo Jogo Aberto. Como arte-educadora, desenvolveu e mediou em 2011 um projeto para as Oficinas Culturais do Estado de São Paulo de Teatro Dramático, com alunos de 09 a 18 anos, através do Grupo Articulador Aricanduva, parceiro da Unicef. Em 2015 ministrou aulas particulares de expressão corporal e facial para Bailarinas em Poá – SP e em 2019 foi voluntária na ONG FLAEB, oferecendo uma oficina com montagem de 3 espetáculos teatrais, cuidando da parte de confecção de roteiro, criação de personagem, figurino, cenário, direção e produção dos espetáculos. Participou de cursos complementares como “As Comédias de Jean Tardieu” ministrado por Clara Carvalho e Workshop Intensivo de Interpretação para TV, Cinema e Teatro, ambos na Carpintaria do Ator. Seu último trabalho na área artística foi em 2019, como Assessora de Imprensa na empresa Morente Forte Comunicações, contabilizando 31 espetáculos.

FICHA TÉCNICA

Elenco: Ian Soffredini e Mariana SãoJoão

Figurinos e adereços: Inês Sacay

Produção: Will Siqueira e Isabel Gomez

Preparação Corporal: Vanessa Guillén

Preparação Vocal: Madalena Bernardes

Assistência de Direção: Eduardo Leão

Cenário, Iluminação e Direção Geral: Isser Korik

 

Classificação etária: 03 anos

Gênero: comédia

SERVIÇO

“Cinderela”

Reestreia: 13 de março de 2021.

Temporada: até 11 de abril de 2021

Sessões: Sábados e domingos, às 14h e 17h

Canal de exibição:

https://youtube.com/user/TeatroFolha