O Teatro Folha completa 20 anos de atividades no ano de 2021 e reabrirá dia 09 de janeiro, com espetáculos para o público infantil no 33º Festival de Férias. Também haverá uma programação para o público adulto aos finais de semana. O teatro funcionará de acordo com as estratégias do Plano São Paulo para controle da pandemia de Covid19 e cumprirá rigorosamente as regras de segurança sanitária. Além da programação presencial, haverá também a versão online do Festival de Férias.

O 33° Festival de Férias do Teatro Folha conta com cinco espetáculos para crianças, que serão apresentados a partir do dia  09 de janeiro. Em cada dia da semana será apresentada uma peça diferente. Para o público adulto, a programação começa no mesmo dia com a peça “Precisamos Falar de Amor Sem Dizer Eu te Amo”, com Priscila Fantin e Bruno Lopes, às 18h30, e “1 Milhão de Anos em 1 Hora”, com Bruno Motta, às 21h. Bruno Motta também se apresentará aos domingos, às 18h30.

Na semana seguinte, em 15 de janeiro, acontecerá a estreia de “Seleção de Comédia” que ficará em cartaz às sextas-feiras, 21h. É um festival com alguns dos mais conhecidos nomes da comédia stand up, como, Rafinha Bastos, Igor Guimarães, Jr Chicó, Ariana Nutt, Victor Sarro, Bruno Motta entre outros.

O diretor artístico do Teatro Folha, Isser Korik, explica que para garantir a segurança sanitária ao público, precisou refazer todo o esquema de programação artística, reduzindo o número de sessões das peças. “Desta forma podemos garantir maior tempo para higienização da sala entre cada sessão. Também garantimos maior tempo para entrada e saída do público para evitar aglomerações”, conta.

Em cumprimento às regras de segurança sanitária, só será permitida a entrada de pessoas com máscaras, as poltronas serão ocupadas levando em consideração o distanciamento entre as pessoas e o sistema de vendas online foi modernizado.

Para compor a programação, a direção artística optou por espetáculos com elencos reduzidos ou cujos atores cumprem quarentena juntos. Também foi recomendado aos diretores das peças que considerem a possibilidade de manter o distanciamento entre os atores em cena. A ideia é também reduzir a circulação de pessoas nos bastidores e camarins do teatro.